...

Como o blockchain pode contribuir para o agronegócio?

O mundo está cada vez mais tecnológico e dinâmico. Novas tecnologias têm surgido diariamente para dar soluções para as demandas atuais e substituir antigos procedimentos.


O blockchain surge como uma alternativa para aumentar a segurança e otimizar processos nas mais variadas áreas, desde mercado financeiro, administração pública e agricultura. Para aproximar o produtor rural, desta tecnologia, fizemos este artigo para responder as principais questões sobre o tema. O que é blockchain? Quais é a importância e usos desta ferramenta no agronegócio? Qual a relação do blockchain com as criptomoedas? Como as Criptomoedas podem beneficiar o agronegócio? Responderemos todas estas questões neste artigo. Ao final, destacaremos como a Culte pode auxiliá-lo neste processo. Saiba o que é blockchain O blockchain, que em tradução livre significa “cadeia de blocos”, funciona como uma espécie de “agenda digital”, que armazena dados de forma descentralizada, transparente e segura, utilizando a tecnologia da criptografia para alcançar este objetivo. A partir disso, o acesso as informações pertinentes sobre o negócio pode ser realizado de forma aberta, por qualquer pessoa, ou de forma permissionada onde, somente agentes autorizados envolvidos com o negócio, como fornecedor de insumos, produtor rural, transportador, distribuidor ou consumidor final, terão acesso às informações. Entre as maiores funcionalidades do blockchain para a agricultura, destaca-se a possibilidade de rastreio de toda a produção agrícola, isto é, desde a produção inicial até a comercialização do produto, o que tem despertado interesse de gigantes como Carrefour e IBM. Dessa forma, o blockchain consiste em uma das tecnologias mais promissoras da atualidade no que tange a segurança de dados e informações, contribuindo com diversos benefícios para o agronegócio e possibilitando o aumento de competitividade para os médios e pequenos produtores. Entenda a importância e usos do blockchain no agronegócio Abordaremos agora sobre a importância e principais usos do blockchain no agronegócio: segurança, execução de atividades sem a intervenção humana, possibilidade de tokenização de serviços, produção ou ativos, gerenciamento e controle. Segurança Conforme destacamos anteriormente, a segurança é uma das principais vantagens do blockchain. Essa segurança é resultado da própria ferramenta em si, pois seus dados são protegidos e imutáveis, tornando possível ao mesmo tempo o armazenamento e a visualização das informações de forma descentralizada e segura entre os agentes da transação agrícola. Execução de atividades sem a intervenção humana Os smart contracts, possibilitam que atividades previamente acordadas sejam realizadas de forma automática, especialmente quando são feitos de forma repetitiva e periódica. Em vez de perder seu tempo, os agentes podem deixar que o blockchain execute a atividade de forma automática. Na agricultura se o horímetro do trator estiver associado a um smart contract a cada hora trabalhada é realizado o pagamento automaticamente ao proprietário da máquina. Possibilidade de tokenização de serviços A tokenização de serviços nada mais é do que tornar digital os contratos do negócio, usando para tal o blockchain, linkando um serviço a um token. Existem diversas situações para utilizar a tokenização dos serviços. Na agricultura podemos transformar 1000 horas de trabalho de um trator em 1000 tokens (fichinhas) e quem tiver a posse desses tokens poderá usar as 1000 horas do trabalho do trator, a cada hora trabalhada a fichinha é transferida automaticamente para a carteira do proprietário do trator. Desta forma a tokenização de serviços garante descentralização nos processos de transação, melhor controle dos pagamentos, com rapidez e transparência. Gerenciamento e controle O agronegócio não se resume exclusivamente a plantar, colher e vender. É necessário gerenciar e controlar a produção, de forma a otimizar a produtividade e aumentar os lucros. O blockchain auxilia nestes aspectos, otimizando e automatizando diversos procedimentos, como compra e venda. Simultaneamente, proporciona transações seguras e fáceis, sem necessidade de dinheiro físico, o que significa, a independência dos agricultores ao sistema bancário tradicional. Os smart contracts garantem o pagamento imediato assim que as condições do contrato tenham sido cumpridas. Casos de uso Agora falaremos sobre os principais usos que o blockchain proporciona para o agronegócio: rastreabilidade da produção e tokenização da produção e ativos agrícolas. Rastreabilidade da produção Redes de supermercados como Walmart e Carrefour tem investido em blockchain para garantir a procedência e segurança dos produtos que comercializam devido a rapidez em localizar lotes de produtos defeituosos ou impróprios ao consumo. Neste contexto o produtor rural terá que levar em consideração no seu negócio, a rastreabilidade da sua produção, para poder inserir seus produtos em um mercado consumidor cada vez mais exigente. Tokenização da produção e de ativos agrícolas Diferente da tokenização de serviços na tokenização da produção ou de ativos agrícolas, é possível linkar um token a um ativo real, o que torna o detentor do token no detentor do ativo que ele representa. Ou seja podemos transformar um trator de R$ 100.000,00 em 100 mil tokens, ao invés de termos um dono do trator podemos ter 10, 100, 1000 ou quantas pessoas forem detentores destes tokens, e estes tokens lhes darão direito a receber de acordo com o que o trator produzir. Se a tokenização for da produção, podemos ter 1 token correspondente a 1kg de carne, o detentor deste token receberá o 1kg de carne no local e data combinados no smart contract. Confira os principais exemplos de uso do Blockchain Pavo Com base na Suiça, é uma solução que alia o blockchain com o IoT (Internet das coisas), e que tem se mostrado uma das ideias mais promissoras da atualidade no que tange o uso do blockchain, especialmente por alternativas como rastreabilidade e gerenciamento remoto de plantações. Smartlands Esse projeto iniciou no Reino Unido e pretende ser um crowfunding para agricultores através da tokenização de ativos agrícolas. BananaCoin Bananacoin, como o nome sugere, é uma criptomoeda atrelada diretamente à commodity banana. Começou a ser divulgada e vendida no ano de 2016 por empresários russos e tem como objetivo financiar plantação de bananas no Laos, país do sudeste asiático. Os investidores da crypto podem, ao final do processo, resgatar seus ativos em mercadorias ou compensação monetária até julho de 2019. Entenda qual é a relação do blockchain com as criptomoedas Uma criptomoeda é uma espécie de moeda digital, que funciona de forma descentralizada e utiliza a criptografia e tecnologia blockchain para validar as transações e criar novas unidades de moeda. Após o Bitcoin, diversas outras criptomoedas surgiram para os mais diversos fins, e tem se tornado cada vez mais populares Entre as principais vantagens das criptomoedas, podemos citar a independência, não dependemos mais de um emissor central ou do sistema bancário para termos a posse citada anteriormente e ressaltada diversas vezes ao longo deste artigo, além de garantir segurança para todos os agentes envolvidos no negócio, quebrando barreiras para que o produto alcance clientes em toda a parte do mundo. Saiba por que precisamos de uma Criptomoeda para o agronegócio A burocracia do sistema bancário aliado a escassez de recursos financeiros com taxas de juros aceitáveis é uma trava importante no desenvolvimento do agronegócio brasileiro. Atualmente para driblar este problema grande parte do custeio agrícola é realizado através de Barter, que é a entrega antecipada de insumos agrícolas pela entrega futura de parte da produção, isto geralmente envolve grandes produtores e multinacionais. De acordo com a Basf 40% de suas vendas no Brasil são realizadas através de Barter e CPR. Apesar de ter contribuído para o sucesso do agronegócio brasileiro, o Barter alcança uma pequena parcela de agricultores, então uma solução que empodere um número maior de pequenos e médios agricultores de forma transparente, ágil e segura, que não dependa do sistema bancário tradicional e que não tenha barreiras geográficas, trará impacto extraordinário ao PIB do agronegócio. Para fazer uma transação entre países distintos, é necessário atravessar por um processo extremamente burocrático, que envolve, na maioria dos casos, a conversão de moedas diferentes para chegar a um resultado comum. Como boa parte dos produtos agrícolas produzidos no Brasil são exportados, é necessário pensar em uma alternativa que amenize os efeitos negativos e facilite a transação comercial entre produtores e clientes tão distantes. Com uso do blockchain e criptomoeda, é possível reduzir o tempo e transação para o fechamento de um negócio, seja ele realizado no mesmo país ou em países diferentes. Além disso, contribui para agilizar processos, mantendo-os transparentes. Como exemplo, podemos citar o caso da empresa dos EUA Louis Dreyfyus, que vendeu 60 toneladas de soja para o governo chinês. Em vez de utilizar o sistema tradicional, optou pela solução das criptomoedas, o que implicou na redução de metade do tempo até o fechamento do negócio. Como você pode perceber, o agronegócio é um mercado global. Produzimos itens agrícolas que podem ser consumidos em qualquer parte do mundo, por pessoas que nem imaginamos um dia conhecermos pessoalmente. Em um mercado global como este, quanto menores forem as barreiras nos negócios, melhor será o mercado para os agentes, sejam eles os produtores rurais, compradores ou consumidores finais. E o blockchain surge como uma alternativa para diminuir essas barreiras, servindo como elo entre o pequeno produtor rural e os clientes de toda a parte do mundo, seja uma pequena empresa de produtos orgânicos nos EUA, seja o governo chinês. Outro ponto pouco comentado, mas que é muito importante para destacarmos a importância do blockchain e das criptomoedas para o agronegócio brasileiro, especialmente para os pequenos produtos rurais, é que a quebra de barreiras entre clientes e produtores aumenta a competitividade de seus produtos. Isso ocorre porque os grandes produtores têm mecanismos para driblar a burocracia e enfrentar maior tempo de esperar até o fechamento do negócio, enquanto os menores não dispõem destas ferramentas. Dessa forma, além de tudo que foi apresentado, as criptomoedas aliadas ao blockchain, empoderam as pequenas propriedades rurais no mercado agrícola nacional e global. Veja como a Culte pode auxiliá-lo nesse procedimento Você sabia que já existe uma plataforma voltada para o pequeno produtor rural que utiliza o blockchain e uma criptomoeda própria? Estamos falando da Culte, que tem a sua própria criptomoeda, a cultecoin. Essa é uma das ações que a plataforma promoveu com o intuito de revolucionar a agricultura familiar brasileira, aliando tradição com tecnologia de ponta a fim de aumentar a produtividade no campo. Reunimos e aproximamos pequenos produtores de investidores e clientes, além de apresentar tecnologias inovadoras que podem ser utilizadas no campo, contribuindo para uma nova era na agricultura familiar brasileira. Sendo assim, o blockchain tem se mostrado uma ferramenta bastante útil e promissora para o mundo do agronegócio. Sua implementação aumenta a segurança com dados criptografados e otimiza procedimentos com automatização, que elimina riscos de falha humana. A Culte é uma das primeiras plataformas no Brasil a aproximar a tecnologia blockchain do pequeno produtor rural, proporcionando uma nova janela de oportunidades ao agronegócio brasileiro. Gostou deste texto que apresentamos sobre como o Blockchain pode contribuir para o agronegócio? Então conheça a Culte e veja quais são as 6 tecnologias que estão revolucionando a agricultura!