Aguarde...

...

Conheça 6 tecnologias que estão revolucionando a agricultura

A tecnologia é a maior aliada do agricultor para o aumento da produtividade e qualidade da produção agropecuária.


O mundo está cada vez mais dinâmico e tecnológico, e novas ideias, metodologias e instrumentos surgem todos os dias para revolucionar as mais diversas áreas da atuação humana. A agricultura não foge dessa realidade, e a tecnologia não deve ser vista como uma inimiga do agricultor, mas como uma aliada para o aumento da produtividade e qualidade da produção agropecuária. A Culte escreveu esse artigo com a intenção de ajudar você a se preparar para o futuro: analisamos a realidade de alguns países que incorporaram soluções criativas como base de seu agronegócio, e destacamos as 6 principais tecnologias que estão mudando a cara do agronegócio. Acompanhe! 3 países que são exemplos no uso inteligente da tecnologia no campo A tecnologia se faz presente como estratégia para otimizar a produção desde a invenção da agricultura. No Egito antigo, por exemplo, eram construídos canais de irrigação para abastecer as plantações de trigo ao longo das margens do rio Nilo. Instrumentos como carroças puxadas por animais eram utilizadas para arar a terra e recolher a matéria-prima. Essas técnicas, apesar de rudimentares aos olhos modernos, permitiram que os povos antigos alimentassem grandes populações sem depender da caça, construindo cidades e civilizações pela primeira vez. Ao longo do tempo, a necessidade de produzir mais impulsionou o avanço dessas tecnologias, e as adversidades forçaram os agricultores a encontrarem maneiras criativas de resolver seus problemas. Em geral, os produtores que vivem situações desfavoráveis ou grande competitividade são aqueles que conseguem desenvolver melhores soluções tecnológicas para a agricultura. Como exemplo, podemos citar os EUA, país que apresenta uma produtividade agrícola modelo, por conta, sobretudo, de sua grande competitividade, gerada a partir da produção descentralizada nos pequenos agricultores. Outros países, como o Japão, se viram obrigados a investir em tecnologia de ponta para produzir o máximo possível no menor espaço, pois possuem poucas terras produtivas e muita demanda em seu território. Já Israel se destaca por se localizar no Oriente Médio, uma região árida e infértil. Somente graças a investimentos pesados em irrigação inteligente e dessalinização, o país foi capaz de driblar a falta de água em seu território e criar condições para que o agronegócio prosperasse. 6 tecnologias que estão revolucionando a agricultura Se você é agricultor, investidor ou profissional do agronegócio, preparamos uma lista obrigatória de tendências que estão desencadeando uma série de mudanças e novas possibilidades na forma como praticamos a agricultura. Não deixe de conhecê-las! 1. Fazendas verticais Este termo é relativamente novo e foi cunhado pelo biólogo Dickson Despommier, pesquisador da Universidade de Columbia, Nova Iorque. Consiste em uma solução para produção de produtos agropecuários em centros urbanos. Como a terra é escassa nestes locais, é sugerida a criação de fazendas verticais, que podem ser feitas em coberturas de prédios, por exemplo. A ideia é aliar instalações automatizadas com a aplicação de metodologias agrícolas de ponta, a fim de aumentar a produtividade e qualidade dos produtos. A alternativa é sustentável por diminuir a necessidade do desmatamento de novas áreas. Entre as técnicas empregadas por estas fazendas, destacamos o controle de umidade, gases, temperatura, fertigação e irrigação controlada. 2. Drones O drone, também conhecido como veículo aéreo não tripulado, tem se mostrado uma excelente ferramenta para a agricultura por conta de sua flexibilidade. O aparelho é comumente utilizado para captar informações fotográficas aéreas que contribuem para a análise da plantação (demarcação de plantio, acompanhamento do desenvolvimento da safra, etc), mas também pode ser usado na pulverização, acompanhamento de pastagem, busca por nascentes de água, monitoramento de áreas desmatadas, identificação de locais propícios para abertura de estradas, vigilância, telemetria, busca por focos de incêndio e tantas outras coisas. Se usado corretamente, o drone é capaz até de tocar uma boiada, encontrar animais perdidos ou facilitar a negociação de propriedades. 3. Veículos agrícolas autônomos "Veículo autônomo" é todo aquele capaz de operar sem a intervenção humana direta. Apesar de ser uma tecnologia jovem, ela tem sido um grande foco de investimento para grandes empresas como Google e Tesla. Na agricultura, os veículos autônomos, apresentam diversas utilidades, como pulverizar, arar, semear e colher, dentre outros. A maior vantagem dos veículos autônomos sobre as máquinas agrícolas comuns é justamente sua autonomia: ao deixar de depender de operadores humanos, garantimos maior segurança na operação, além da facilidade na gestão da atividade, pois um único gestor pode acompanhar o trabalho de vários veículos autônomos, que são capazes de operar longas jornadas de trabalho ininterruptamente, aumentando consideravelmente a produtividade. 4. IOT e irrigação inteligente A água é o bem mais precioso que temos em nosso planeta. Ela é um item essencial para a vida e para toda a nossa cadeia produtiva, de forma que sua disponibilidade tornou possível a criação da agricultura e da revolução agrícola, primeiro grande passo que o homem deu em direção ao desenvolvimento da sociedade como a conhecemos atualmente. Entretanto, ela também é um bem finito, que demanda soluções para sua utilização de forma racional e responsável. Especialistas vêm tentando solucionar esse problema com a combinação de duas tecnologias: a "Internet das coisas" (ou IOT) e a irrigação inteligente. A IOT consiste da combinação de uma série de elementos que captam e transmitem dados, através de sensores, conexão com a rede e tecnologia embarcada. Essa integração possibilita a troca de informação e o aprimoramento da irrigação inteligente, pois há um entendimento mais preciso sobre a real necessidade de irrigação de determinada cultura, sem desperdícios e sem irrigar menos que o necessário. 5. Sensores e Big Data Falando em inteligência, não podemos deixar de falar sobre o uso de sensores e Big Data. Os primeiros atuam para calcular o deslocamento do maquinário, a umidade dos grãos, a medição do fluxo de grãos, entre outras coisas. Podem ser sensores térmicos, elétricos ou ópticos, que geram registros precisos de geolocalização, rotação de culturas, consumo de água e características do solo. O objetivo é construir um grande acervo de informações que será usado por produtores e especialistas para otimizar a produção e informar decisões e investimentos no futuro. 6. Blockchain O blockchain consiste em uma das tecnologias mais promissoras da atualidade, contribuindo com diversos benefícios para as mais variadas áreas - dentre elas a agricultura. Este termo, que em tradução livre significa "cadeia de blocos", funciona como um livro de registros digital, onde são armazenados dados de forma descentralizada, registrando as informações pertinentes com todos os agentes envolvidos no negócio. É como se cada elo da cadeia (ou cada pessoa) tivesse uma cópia perfeita desse livro com todos os registros feitos nele até então. Caso uma dessas pessoas alterasse ou apagasse dados do seu livro (seja por acidente ou por más intenções), o sistema detectaria esse problema imediatamente ao comparar a cópia alterada com as outras milhares de cópias disponíveis na cadeia, tornando a falsificação dos registros contidos no livro uma tarefa impossível. A imutabilidade das informações, aliada à descentralização no armazenamento dos dados, gera segurança e rapidez para o rastreio de toda a produção agrícola, desde as etapas iniciais até a comercialização do produto. Essas vantagens únicas tem despertado o interesse de gigantes, como a IBM e o Carrefour. Outras aplicações da tecnologia são os smart contracts ("contratos inteligentes"), as criptomoedas e a possibilidade de tokenização de serviços ou ativos agrícolas. A Culte quer facilitar o acesso a essas tecnologias A tecnologia para a agricultura é uma realidade que remonta os tempos mais remotos da nossa história como civilização, e ela continua sendo uma aliada neste setor. Conhecê-la, no entando, é o primeiro passo para aplicá-la a um negócio, e a realidade de muitos produtores não permite que eles busquem constante atualização e estudo sobre o tema. Por conta disso, um dos objetivos da Culte é o de permitir a aproximação entre agricultores e a tecnológica, o capital e os profissionais do agro, além de metodologias de gestão. Queremos tornar o acesso a essas vantagens uma realidade na vida do agricultor familiar. Se você tem interesse nessas e outras ideias inovadoras no setor, ou acredita no papel da tecnologia e do conhecimento no combate à desigualdade no agronegócio brasileiro, junte-se a nós: leia nosso whitepaper, visite nosso site e ajude a Culte a empoderar aqueles que trabalham para alimentar um país inteiro.