Aguarde...

...

Conheça os 8 principais gaps do agronegócio no Brasil

O agronegócio brasileiro é um dos maiores do mundo. Entretanto, nem tudo são flores. Há diversos gaps que impedem a nossa agricultura crescer ainda mais. Mas afinal o que são gaps?


Gaps podem ser entendidos como barreiras para o crescimento de algo. Na agricultura brasileira, estas barreiras que inibem o seu crescimento são principalmente estas 8:: financiamento, assistência técnica, tecnologia, produtividade, logística, compra de insumos, venda da produção e seguro agrícola. Comentaremos neste artigo sobre cada um deles, além de apontar casos de sucesso de propriedades que amenizaram estas barreiras. Por fim, destacaremos como a Culte é um elemento para auxiliar o pequeno produtor rural na eliminação ou amenização dos gaps. Acompanhe! Quais são os 8 principais GAPS da agricultura familiar brasileira? 1. Financiamento Um dos principais gaps da agricultura familiar brasileira são os financiamentos, especialmente quando falamos dos pequenos produtores rurais. 15% do financiamento agrícola é distribuído entre 85% dos agricultores. Além de contar com uma pequena parcela do capital disponível para crédito, os bancos costumam não entregar os recursos em datas adequadas para iniciar a produção. Dessa maneira, os pequenos agricultores recorrem a outras formas de conseguir crédito para financiar suas plantações — e a maioria delas cobram taxas de juros exorbitantes, o que prejudica a lucratividade do negócio e, em último caso, leva o pequeno produtor a contrair dívidas. Por outro lado, os 15% dos agricultores que detêm 85% do financiamento agrário conseguem aumentar a sua produtividade em até 3 vezes mais que os agricultores sem estes recursos. 2. Assistência Técnica Um dos maiores problemas do mercado brasileiro de forma geral é a escassez de mão de obra qualificada, na agricultura os pequenos agricultores são os mais afetados especialmente em trabalhos que envolvem novas formas de plantio ou tecnologias de ponta. Dessa forma, a assistência técnica é uma grande barreira para o aumento da produtividade. Todavia, com cada vez mais profissionais se formando em áreas afins, é possível vencer esta barreira, especialmente com a participação de uma plataforma que aproxime pequeno produtor rural dos profissionais. 3. Tecnologia A tecnologia é um dos elementos mais importantes para a agricultura. Ela é responsável por aumentar a produtividade, evitar a perda de recursos e potencializar a produção. No Brasil, a tecnologia de ponta para a agricultura é mais acessível aos grandes produtores. Mas ela pode ser utilizada pelos pequenos produtores também. Entre as principais, podemos citar os drones, irrigação inteligente e IOT, blockchain, sensores e big data, vertical farming e veículos agrícolas autônomos. 4. Produtividade A produtividade na agricultura está ligada tanto a quantidade produzida como a qualidade. Apesar de sermos um dos maiores produtores de produtos agrícolas do mundo, nossa produtividade não é das melhores. Isso se deve a diversos fatores, como a falta de captação de recursos financeiros, assistência técnica e tecnológica. Além disso, nossa estrutura agrária inibe a competição, o que prejudica a produtividade, pois em um mercado monopolizado, não há incentivos para inovar. 5. Logística Esse é, sem dúvidas, um dos principais gargalos que impedem o crescimento exponencial do nosso agronegócio. E o problema da logística está ligado diretamente à nossa carente infraestrutura. Nossas hidrovias são quase inexistentes, nossa malha ferroviária é uma das menores proporcionalmente em relação às grandes nações do mundo e nossas estradas são esburacadas e mal sinalizadas. Além disso, há o problema da logística dentro das propriedades rurais, que por não dependerem de fatores externos, podem ser otimizadas o quanto antes. Para isso é necessário a captação de recursos a taxas de juros satisfatórias, para viabilizar a construção de locais para o armazenamento dos grãos, construção de estradas adequadas dentro da propriedade e utilização de tecnologias. 6. Compra de insumos A atividade agrícola para ocorrer depende da compra de uma série de insumos agrícolas. Entre os principais, podemos citar as próprias sementes, fertilizantes e os defensivos agrícolas. Todavia, apesar de serem itens básicos, eles são responsáveis por grande parte dos custos da produção e quando comprados de forma não profissional pode prejudicar a produção agrícola. Entre as principais causas para os elevados custos destes itens, podemos destacar os impostos cobrados em cascata, ou o baixo poder de negociação dos agricultores. O baixo poder de negociação que produtores rurais tem quando atuam de forma isolada é solucionado com centrais de compras ou plataformas de compras online que possibilitam aos agricultores atuarem de forma conjunta, unindo-se a outros produtores para alcançar seu objetivo — comprar insumo por um preço mais em conta. 7. Venda da Produção Outra barreira para o agronegócio brasileiro, principalmente para pequenos agricultores é a dificuldade de venda da produção, especialmente para mercados externos. Isso ocorre por conta, sobretudo, da burocracia, falta de padronização, baixa qualidade e quantidade dos produtos, e logística inadequada. Para melhorar a comercialização da produção o agricultor deve utilizar novos canais de vendas online, facilitando a desintermediação através da sua conexão diretamente com o mercado consumidor, buscar formas de agregação de valor à produção, realizar vendas conjuntas, utilizar assistência técnica conjunta para padronizar e melhorar a qualidade dos produtos, vender antecipadamente parte da produção como forma de se autofinanciar, são algumas das formas de empoderar o agricultor e resolver este GAP. 8. Seguro Agrícola Por fim, mas não menos importante, falta para os agricultores uma política eficiente de seguro agrícola. Uma das alternativas para mitigar esse problema é unir o maior número possível de agricultores que trabalhem com diversas culturas espalhadas pelo país, integrar tecnologia para coibir fraudes e os próprios agricultores contribuírem com percentual para realizarem o seguro uns dos outros de forma descentralizada e colaborativa. Quais são os cases de locais que solucionaram esses gaps ou que estão em outro nível de evolução? No Brasil, podemos citar 4 estados que estão em um ponto fora da curva no que diz respeito à produtividade agrícola. São eles o Mato Grosso, Goiás, Paraná e Rio Grande do Sul. Juntos, eles são responsáveis por 70% da produção dos grãos do país. Entre os grãos, destaca-se a produção da soja. Mas afinal, o que os estes estados e seus respectivos produtores fizeram para vencer os gaps do agronegócio? No Mato Grosso, esse aumento de produção se deve, sobretudo, a prospecção de novas áreas para plantio. No Paraná, a tradição agrícola, aliado a um nível cada vez mais alto de escolaridade dos proprietários e colaborares contribuiu para alavancar a produtividade, fato que ocorreu de forma semelhante com o Rio Grande do Sul. Em Goiás, ocorreu uma mescla entre ambos. Além disso, o estado recebe muitos profissionais de outros estados com o intuito de otimizar a produção. De forma geral, tecnologia, melhora do capital humano e formas de autofinanciamento, como a venda de terras valorizadas e compra de terras menos valorizadas em áreas de novas fronteiras agrícolas, contribuíram para solucionar os gaps. Estes fatores transformaram pequenos agricultores em grandes expoentes da agricultura nacional atualmente. Como a Culte pode auxiliá-lo neste processo? A Culte é uma plataforma que nasceu com uma missão: revolucionar a agricultura familiar brasileira. Para isso, criou uma plataforma para aproximar todos os seus atores, como investidores, compradores e, evidentemente, os pequenos produtores rurais. Contamos com uma criptomoeda própria, além de induzir e facilitar o acesso à várias tecnologias inovadoras para o agronegócio, como irrigação inteligente e IOT, sensores e Big Data, entre outros. Além disso, possibilitamos que o pequeno produtor rural faça uso do barter, utilizando o capital recebido para financiar a própria produção. Apesar da agricultura brasileira contar com diversos gaps, especialmente para os pequenos produtores rurais. Contamos com exemplos como Paraná, Rio Grande do Sul, Mato Grosso e Goiás nos mostram que é possível aumentar a produtividade. Além disso, plataformas pioneiras como a Culte facilitam esse processo. Agora que você já sabe quais são os 8 principais gaps do agronegócio no Brasil, conheça a plataforma da Culte e saiba como pretendemos revolucionar a agricultura familiar no Brasil.